Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/2180
Título: Utilização de imunohistoquímica e AgELISA para detecção de portadores do vírus da diarreia bovina viral em bovinos de engorda
Autor: Noiva, Rute Marina Garcia da
Orientador: Peleteiro, Maria da Conceição C. Vasconcelos
Joaquim, Manuel Ferreira
Palavras-chave: Diarreia Bovina Viral
Imunohistoquímica
AgELISA
Infecção persistente
Bovine Viral Diarrhea
Imunohistochemistry
Persistent infection
Data de Defesa: 2010
Editora: Universidade Técnica de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Citação: Noiva, R.M.G. (2010). Utilização de imunohistoquímica e AgELISA para detecção de portadores do vírus da diarreia bovina viral em bovinos de engorda. Dissertação de Mestrado. Universidade Técnica de Lisboa, Faculdade de Medicina Veterinária, Lisboa.
Resumo: A Diarreia Bovina Viral é uma das doenças infecciosas dos bovinos de engorda com maior impacto económico, afectando negativamente todas as fases de produção. Os animais imunotolerantes, persistentemente infectados (PI) pelo BVDV constituem o seu principal reservatório, e a sua detecção e eliminação é importante no controlo da transmissão do vírus na manada. O objectivo deste estudo consistiu em utilizar imunohistoquímica e AgELISA em amostras de biópsia de pele de bovinos de engorda, para detectar infecções persistentes. Adicionalmente, procedeu-se à revisão do conhecimento actual sobre a Diarreia Bovina Viral. Foram testados 100 vitelos, entre as duas e as 84 semanas de idade. As amostras de pele, fixadas em formol, foram marcadas para antigénios do BVDV por imunohistoquímica, e os resultados comparados com os obtidos por AgELISA, em amostras frescas de pele. Os resultados obtidos foram incompatíveis com infecções persistentes, para todas as amostras, pelo que nenhum dos animais testados foi classificado como PI. Contudo, doze animais que foram negativos ao AgELISA exibiram padrões de marcação imunohistoquímica compatíveis com infecção aguda. Uma vez que a prevalência elevada de animais persistentemente infectados pode aumentar o número de infecções agudas, seria importante determinar a prevalência nacional de infecções persistentes.
ABSTRACT - Using Immunohistochemistry and AgELISA to Detect Animals Persistently Infected with Bovine Viral Diarrhea Virus in Feedlot Cattle - Bovine viral diarrhea is one of the most economically significant infectious diseases of beef cattle, having a negative impact over all stages of production. Immunotolerant, persistently infected (PI) animals are the main reservoir for this virus, and their detection and elimination is important, in order to control its transmission in a herd. The objective of this study was to use immunohistochemical analysis and AgELISA on skin biopsy samples from beef calves, in order to detect persistent infections. Additionally, current knowledge on Bovine Viral Diarrhea was reviewed. One hundred 2 to 84 week-old calves were tested. Formalin-fixed skin biopsy samples were stained for BVDV antigens by immunohistochemistry, and the results were compared to those obtained by AgELISA, performed on fresh skin samples. The results obtained were incompatible with persistent infection, for all samples, so none of the calves tested was classified as a PI animal. However, twelve animals that tested negative with AgELISA exhibited immunohistochemical staining patterns compatible with acute infection. Since a high prevalence of persistently infected animals can increase the number of acute infections, it would be important to determine the national prevalence of persistent infection.
Descrição: Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/2180
Aparece nas colecções:BFMV - Teses de Mestrado 2º. Ciclo



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.