Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/2013
Título: Caracterização bioenergética de Saccharomyces cerevisiae em fermentação vinária
Outros títulos: Bioenergetic characterization os Saccharomyces cerevisiae on wine fermentation
Autor: Viana, Tiago Monteiro Lomba
Orientador: Prista, Catarina Geoffroy
Dias, Maria da Conceição Loureiro
Palavras-chave: Saccharomyces cerevisiae
wine fermentation
ethanol
fermentação vinária
etanol
Data de Defesa: 2009
Resumo: Wine fermentation is a complex process, during which yeast cells are submitted to a number of adverse stress conditions (osmotic pressure, low pH, ethanol, nutrient limitation and starvation, temperature). In this work, the performance of the industrial strain Saccharomyces cerevisiae ISA1000 was evaluated during white grape must fermentations, at 15ºC and 30ºC, in experiments simulating real winery conditions. Intracellular pH (pHi), proton influx and proton extrusion through the plasma membrane were measured, at both temperatures, as indicators of cell catabolic activity and plasma membrane permeability. Cells were harvested at different stages throughout fermentation. The effect of ethanol on proton extrusion and proton influx was evaluated at the same temperatures. The most relevant results were obtained at 15ºC, in stationary phase. Under these conditions, S. cerevisiae ISA1000 exhibited low pHi (pHi 5), inability to extrude H+ and very low H+ permeability. At 30ºC, at the same fermentation stage, the cells presented low H+ permeability and low H+ extrusion capacity, although they had a higher pHi (pHi 6) than at 15ºC. For both temperatures, the effect of ethanol on H+ permeability was less evident in stationary phase cells.---------------------------------A fermentação vinária constitui um processo complexo ao longo do qual as leveduras são sujeitas a vários tipos de stresse (pressão osmótica, etanol, pH baixo, esgotamento de nutrientes, temperatura). O trabalho realizado avaliou o comportamento da estirpe industrial de Saccharomyces cerevisiae ISA1000 durante fermentações em mosto de uva branca, a 15ºC e a 30ºC, simulando condições reais em adega. Determinou-se o pH intracelular (pHin), e o efluxo e influxo de protões, em células cultivadas às duas temperaturas, como indicadores de actividade catabólica e de permeabilidade a H+ da membrana plasmática. As células foram recolhidas em diferentes fases da fermentação. Avaliou-se também o efeito do etanol no efluxo e influxo de H+, às duas temperaturas. Os resultados mais relevantes foram observados a 15ºC, em fase estacionária. Nestas condições, S. cerevisiae ISA1000 evidenciou pHin baixo (pHin 5), incapacidade de expulsar H+ e muito baixa permeabilidade da membrana plasmática aos mesmos. A 30ºC, na mesma fase, a mesma estirpe revelou-se pouco permeável a H+ e com baixa capacidade de os expulsar, mantendo, no entanto, um valor de pHin mais elevado (pHin 6). Para ambas as temperaturas, observou-se um menor efeito do etanol na permeabilidade de membrana para células em fase estacionária.
Descrição: Mestrado em Engenharia Alimentar - Instituto Superior de Agronomia
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/2013
Aparece nas colecções:BISA - Dissertações de Mestrado / Master Thesis

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Dissertação.pdf6,03 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.