Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/1983
Título: A aquisição do capital social e a formação das estruturas sociais na Guiné-Bissau: uma abordagem para a percepção de conflitos sociais
Autor: Có, João Ribeiro Butiam
Palavras-chave: capital social
indivíduo
grupo
comunidade
nação
estruturas sociais
identidade
redes sociais
coerção social
controlo social
Data: 2006
Editora: ISEG - SOCIUS
Citação: Có, João Ribeiro Butiam. 2006. "A aquisição do capital social e a formação das estruturas sociais na Guiné-Bissau: uma abordagem para a percepção de conflitos sociais". Instituto Superior de Economia e Gestão – SOCIUS Working papers nº 6/2006
Relatório da Série N.º: SOCIUS Working papers;6/2006
Resumo: O capital social define-se por redes de relações, tanto a nível individual (entre indivíduos) como a nível institucional (entre grupos, instituições, comunidades, nações etc.). Permite aos indivíduos aclamarem as suas influências no seio dos seus grupos, como também contribui para a formação e organização/sustentação das estruturas sociais. O capital social anuncia, por um lado, valores de coesão, de partilha de identidades comuns, etc., que possibilitam interacções entre as fontes e os beneficiários. Por outro lado, a sua aquisição e formas de manifestação podem favorecer ambientes de exclusão, uma vez que os beneficiados tendem a distanciar-se dos demais membros (não beneficiados) na apreciação colectiva. Assim, a preocupação central deste trabalho visa teorizar sobre o contributo do capital social para a formação de estruturas sociais e para a vida social guineense, realçando os aspectos positivos e negativos. Deste modo, conclui-se que a formação das estruturas sociais na Guiné-Bissau, as escolhas e alinhamentos sócio-partidários e eleitorais (exemplo das eleições presidenciais de 2005), têm sido o reflexo das redes/relações sociais a que as pessoas pertencem, normalmente construídas na base de sentimentos colectivos e de pertenças étnico-religiosas. Estas redes de relações são formadas a partir de valores de identidades comuns e sustentadas pela confiança exigível e confinada entre os indivíduos. Essa forma de escolha racional, identitária e de formação das estruturas sociais é o prenúncio da divisão social entre os vários grupos sociais (étnicos, políticos, religiosos, etc.), o que auxilia a fragmentação da identidade da comunidade-nação, sustentando, consequentemente, focos de conflitos sociais. Desta forma, a aquisição do capital social e a formação das estruturas sociais constituem uma abordagem importante para a percepção e prevenção dos conflitos sociais na Guiné-Bissau.
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/1983
Versão do Editor: http://pascal.iseg.utl.pt/~socius/publicacoes/wp/wp200606.pdf
Aparece nas colecções:SOCIUS - Documentos de Trabalho / SOCIUS - Working Papers

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
wp200606.pdf250,43 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.