Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/1970
Título: Alternativas de condução em patamares estreitos para a Região do Douro. Estudo realizado na casta Touriga Franca
Autor: Borges, Maria Luisa Fialho Vieira de Sousa
Orientador: Castro, Rogério Albino Neves
Magalhães, António José Tavares
Palavras-chave: videira
sistema de condução
patamares estreitos
distância entre cepas
superficie foliar
grapevine
trainind systems
narrow terraces
inter row distance
surface area
Região do Douro
Data de Defesa: 2009
Resumo: With the objective of finding and studying new training systems for Douro region, an experimental vineyard was planted in a parcel with 30 to 50% slope, in narrow terraces, with Touriga France grafted in R110. Two training systems were installed (vertical shoot position, VSP, and LYS 2/3, the alternative of LYS in zones with strong inclination), and two distances in the row (0,80m and 1,20m) with the aim of optimising the available space. To study in particular the influence of the descending vegetation, two types of punning were implemented, one in Royat, and another in cane pruning which was based in a permanent structure, called “espáduas”. The results of 2008 demonstrated that LYS 2/3 had a 30% greater yield than VSP, both training systems had a good sugar content on the harvest day, and that LYS 2/3 had a 13,95% (v/v) and VSP had 14,2 % (v/v). The presence of a descending vegetation permits the LYS 2/3 system to increase its total leaf area (AF) and exposed leaf surface (ELS). The distance of 0,80m between vines led to a bigger yield, due to a major number of braches by linear meter. Planting LYS 2/3 with a distance of 0,80m in the row proved to be the best modality studied this year of 2008, by demonstrating an increase in yield and achieving higher content in sugar.----------------------------------Com o objectivo de se estudar alternativas de condução para o Douro, instalou-se um ensaio experimental com a casta Touriga Franca enxertada em R110, numa parcela com declives no terreno superiores a 30 a 50%, em patamares estreitos, na Quinta de Santo António. Dois sistemas de condução foram instalados (o tradicional cordão unilateral em monoplano ascendente, VSP, e o “LYS 2/3”, forma adaptada do LYS a patamares, e duas distâncias na linha (0,80m e 1,20m), de modo a determinar-se a melhor modalidade tendo em vista optimizar espaço disponível. Na cortina retombante fez-se dois tipos de poda: talão (Royat) versus vara (Guyot). Demonstrou-se que o LYS 2/3 obteve mais 39% de produção, uma maior área foliar e superfície exposta que o VSP. Ambos os sistemas originaram um bom teor em açúcares à vindima, tendo sido o valor médio no mosto no LYS 2/3 de 13,95% (v/v) e no VSP de 14,2% (v/v). A distância 0,80m, comparativamente à 1,20m, um aumento de 17% de produção. O sistema LYS 2/3 a uma distância de 0,80m revelou ser a melhor modalidade em estudo neste ano (2008), pois permitiu aumentar a produção e atingir um elevado teor em açúcares
Descrição: Mestrado em Viticultura e Enologia - Instituto Superior de Agronomia / Faculdade de Ciências da Universidade do Porto
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/1970
Aparece nas colecções:BISA - Dissertações de Mestrado / Master Thesis

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
TF Luisa Borges.doc6,89 MBMicrosoft WordVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.