Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/1939
Título: Degradação ambiental na África Subsahariana. Modelos explicativos para os principais problemas
Autor: Santos, João Camargo Ribeiro Marques dos
Orientador: Santos, José Manuel de Lima
Palavras-chave: Subsaharan Africa
environmental degradation
sustainable development
economic model
África subsahariana
degradação ambiental
desenvolvimento sustentável
modelo económico
Data de Defesa: 2009
Resumo: The under-developed areas, of which Subsaharan Africa stands out for its particularly extreme levels of poverty, feel the biggest effects of the wealth and development experienced by the so-called First World, that has been historically sustained by Third World resources. Environmental degradation in this Region has the specificity of being very near to the populations, as they usually make their living in natural means. The relationship between environmental degradation, poverty and populational growth is assumed as indisputable in today’s mainstream ideologies. As a consequence of the phenomenon of globalization, development solutions based on the sustainable development theory, which promises the continuance of sustained economic growth while taking heed of environmental conditions, guaranteeing that future generations may continue to have access to natural means to fulfill their needs, have been imposed on the under-developed regions of the world. However, the assumptions that have led to these speeches are not indisputed: are the poor and poverty the main drivers for environmental degradation in the Subsaharan region, or has the economic model followed contributed decisively for this degradation? The answers to these questions are searched through the creation and evaluation of statistical models of linear regression for the main dimensions of environmental degradation in the Region.----------------------------------As zonas subdesenvolvidas, de que a África Subsahariana se destaca pelos níveis extremos de pobreza, sentem, devido à extracção histórica dos seus recursos, os grandes efeitos da riqueza e desenvolvimento das zonas desenvolvidas. A degradação ambiental nesta Região tem a especificidade de ser muito mais próxima das populações, que vivem geralmente em contacto com os meios naturais. A relação entre degradação ambiental, pobreza e crescimento populacional é assumida como indelével segundo a ideologia dominante no mundo de hoje. Como consequência do fenómeno da globalização têm sido impostas às regiões em desenvolvimento soluções concebidas na base de um desenvolvimento sustentável, que promete a continuação de um crescimento económico sustentado que acautela as condições ambientais, garantindo às gerações futuras a possibilidade de usufruirem dos meios naturais para suprir as suas necessidades. No entanto, as assumpções que levaram a estes discursos não são incontestadas: serão os pobres e a pobreza os grandes causadores da degradação ambiental na região da África Subsahariana, ou contribuirá o modelo económico vigente de modo decisivo para a mesma, reforçando ainda a pobreza? Através da criação e avaliação de modelos estatísticos de regressão linear para as principais dimensões da degradação ambiental na Região, procuram-se respostas para estas perguntas.
Descrição: Mestrado em Engenharia do Ambiente - Instituto Superior de Agronomia
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/1939
Aparece nas colecções:BISA - Dissertações de Mestrado / Master Thesis

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Tese África Definitiva.pdf3,35 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.