Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/1245
Título: Monetary policy in a currency union with heterogeneous countries
Autor: Soares, Carla Sofia Caeiro
Orientador: Sousa, João Miguel
Palavras-chave: DSGE models
currency union
monetary policy rules
heterogeneous countries
nominal rigidities
welfare
modelos DSGE
união monetária
regras de política monetária
países heterogéneos
rigidez nominal
bem-estar
Data de Defesa: Mai-2008
Editora: Instituto Superior de Economia e Gestão
Citação: Soares, Carla Sofia Caeiro. 2008. "Monetary policy in a currency union with heterogeneous countries". Dissertação de Mestrado. Universidade Técnica de Lisboa. Instituto Superior de Economia e Gestão.
Resumo: We build a two-country DSGE model for a currency union, with habit formation, product and labour differentiation and nominal rigidities. Monetary policy is defined by a rule that responds to the area's macro-variables averages weighted by each country's size. We intend to study the impact of different sources of heterogeneity between the countries (home bias in consumer preferences, wage and price mark-ups and wage and price setting rigidity) on both countries and the union. The model is calibrated and the response to shocks is simulated. The main innovation is the incorporation of several sources of heterogeneity and the assessment of its impact on welfare. The main results of the model simulation are the following: (i) only heterogeneity regarding the home bias can lead to differentials in consumer price inflation; (ii) heterogeneity regarding wage or price mark-ups does not lead to significantly different responses to shocks of the countries; (iii) heterogeneity on nominal rigidities results in differences among the countries' response, favouring the more flexible country and resulting in smoother and longer impacts when shocks occur in the more rigid country. We also examine the volatility of the variables and perform a formal utility-based welfare analysis. We find out that nominal rigidities are the most important source of heterogeneity. In a currency union where the central bank responds to the area wide and does not take into account national differences, it is preferable to increase flexibility in both countries and in both wages and prices, as there are significant welfare losses when countries attempt to make only wages or prices more flexible, or when only a single country is flexible. A comparison of different policy rules allows us to conclude that simpler rules (without interest rate smoothing) provide the best result in terms of welfare.
É desenvolvido um modelo DSGE de dois países que formam uma união monetária, com hábitos no consumo, diferenciação de bens e de trabalho e rigidez nominal. A política monetária segue uma regra que responde à média das variáveis macro do agregado, ponderada pela dimensão do país. Pretende-se estudar o impacto de diferentes fontes de heterogeneidade entre os países (preferências no consumo enviesadas a favor de bens nacionais, mark-ups dos salários e preços e rigidez nos salários e preços) em ambos os países e na união. O modelo é calibrado e são simuladas as respostas a choques. A principal inovação consiste na incorporação de várias fontes de heterogeneidade e na avaliação do impacte em termos de bem-estar. As simulações do modelo levam aos principais resultados: (i) apenas a heterogeneidade no enviesamento das preferências do consumo provoca diferenciais na inflação no consumidor; (ii) heterogeneidade nos mark-ups de preços e salários não resulta em respostas significativamente diferentes entre os países; (iii) heterogeneidade no grau de rigidez nominal implica diferentes respostas dos países, favorecendo o país mais flexível e levando a respostas mais suaves e prolongadas quando os choques ocorrem no país mais rígido. Também se analisa a volatilidade das variáveis e o bem-estar de acordo com uma função formal derivada a partir da função utilidade. Conclui-se que a rigidez nominal é a fonte de heterogeneidade mais relevante. Numa união monetária onde o banco central responde à união e não considera as especificidades de cada país, é preferível aumentar a flexibilidade em ambos os países e nos preços e salários simultaneamente, dado que flexibilizar só salários ou preços, ou se só um país for flexível, leva a elevadas perdas de bem-estar. Conclui-se ainda que regras de política monetária simples (sem gradualismo da taxa de juro) promovem o melhor resultado de bem-estar.
Descrição: Mestrado em Economia Monetária e Financeira
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/1245
Aparece nas colecções:BISEG - Dissertações de Mestrado / Master Thesis
DE - Dissertações de Mestrado / Master Thesis

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
tese.pdf1,23 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.