Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/1179
Título: Criação e partilha de conhecimento em comunidades de prática electrónicas: factores potenciadores e constrangedores
Autor: Paulos, Alice Maria Vaz
Orientador: Correia, Ana Maria Brigham da Silva Ramalho
Palavras-chave: Comunidades de Prática Electrónicas
Comunidades de Prática
Criação de conhecimento
Partilha de Conhecimento
Gestão de Conhecimento
Inovação
Virtual Communities of Practice
Communities of Practice
Knowledge creation
Knowledge sharing
Innovation
Data de Defesa: Jul-2009
Editora: Instituto Superior de Economia e Gestão
Citação: Paulos, Alice Maria Vaz. 2009. "Criação e partilha de conhecimento em comunidades de prática electrónicas: factores potenciadores e constrangedores". Dissertação de Mestrado. Universidade Técnica de Lisboa. Instituto Superior de Economia e Gestão
Resumo: No ambiente de mercado actual as organizações lidam com dois problemas fundamentais: a situação financeira à escala mundial e a forte concorrência decorrente da globalização de produtos e serviços e da entrada de novos países, tais como a China e Índia. Neste contexto e ao contrário das revoluções anteriores, a diferenciação entre empresas não emana dos equipamentos utilizados mas antes depende da capacidade de geração e aplicação do conhecimento conducente à criação de vantagens competitivas sustentáveis e à inovação. Acresce ainda que o conhecimento necessário para gerar valor acrescentado às organizações não se pode obter unicamente da formação formal mas é consequência, também, do contacto diário com o mercado, os problemas, os clientes, etc, isto é, da experiência prática dos colaboradores. As Comunidades de Prática (CdP) emergem, assim, como estruturas adequadas para suportar a aprendizagem que decorre da vivência prática de cada colaborador. Estas consistem em relações informais que facilitam a criação e partilha de conhecimento entre indivíduos com o objectivo de, em conjunto, melhorarem o modo como executam as tarefas associadas à sua prática. No entanto, paradoxalmente, à medida que a necessidade de conhecimento cresce, as organizações tem, cada vez, maior dificuldade na sua captura e difusão. Com a globalização e a consequente dispersão geográfica, os colaboradores passaram a dispor de menos oportunidades de interacção e como tal a partilha e criação de conhecimento diminuir. Como forma de incrementar a necessidade de interacção e devido ao grande desenvolvimento das tecnologias da informação e da comunicação (TIC) começaram a surgir as comunidades de prática electrónicas (eCdP) constituindo estas o objecto de estudo desta investigação. As eCdP e as CdP são espaços privilegiados para a aprendizagem organizacional revelando-se, pois, crucial, compreender os factores que poderão facilitar ou condicionar a criação e partilha de conhecimento nas eCdP. Assim, este trabalho tem como objectivo estudar os factores susceptíveis de facilitar ou condicionar a partilha e criação de conhecimento nas eCdP. No estudo empírico foram desenvolvidos três estudos de casos, em empresas multinacionais do sector das TIC, com recurso à utilização de dois momentos de entrevistas sendo que o primeiro foi acompanhado de um questionário de caracterização das eCdP envolvidas na investigação.
In the contemporary market environment, organizations are dealing with two fundamental problems: the current financial situation worldwide and strong competition from the globalization of products and services, with entry of new countries such as China and India into the market. Unlike previous significant changes in the methods of production, the competitiveness of companies now depends not only on the physical resources available to them but also on their capacity for innovation; this, in turn, is driven by the capability to create and make use of new knowledge to ensure sustainable competitive advantage. The knowledge required to create added value can be gained by formal training but is most likely to arise as a consequence of daily contact with the market, production problems, customers, etc. through the daily experiences of employees. Properly encouraged, Communities of Practice (CoP) can then emerge naturally to channel the practical learning of employees into innovative activities. They support informal relationships, which facilitate the creation and sharing of knowledge between individuals in order to develop innovative ways of improving performance. Paradoxically, as the need for knowledge grows, the organization has, increasingly, more problems concerning its capture and dissemination. With globalization and consequent geographical dispersion, employees have fewer opportunities for face-to face interaction; this means the creation and sharing of knowledge can decline. One way of improving interaction is to improve communication between employees; the development of information and communication technologies (ICT) gave rise to electronic communities of practice (vCoP), which is the subject of this research. The vCoP and CoP are the best spaces for organizational learning and creation of new knowledge. The factors that may facilitate or constrain these activities are clearly important. This research aims to identify those factors. An empirical study was developed using three case studies of multinational companies in the ICT sector. Interviews were conducted in two phases; the first was also accompanied by a questionnaire to characterize the VCoP being studied.
Descrição: Mestrado em Gestão de Sistemas de Informação
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/1179
Aparece nas colecções:DG - Dissertações de Mestrado / Master Thesis
BISEG - Dissertações de Mestrado / Master Thesis



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.