UTL Repository >
ISEG - Instituto Superior de Economia e Gestão / ISEG - School of Economics & Management Lisbon >
Biblioteca Francisco Pereira de Moura / Francisco Pereira de Moura Library >
BISEG - Dissertações de Mestrado / Master Thesis >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10400.5/1175

Título: Biocombustíveis: que futuro?
Autor: Correia, Rita Vicente
Orientador: Monteiro, Álvaro Gonçalves Martins
Palavras-chave: biodiesel
FAME
HVO
hidrogenação
custos da trans-esterificação
segunda geração
biodiesel
FAME
HVO
hydrogenation
trans-esterification costs
second generation
Issue Date: Jul-2009
Editora: Instituto Superior de Economia e Gestão
Citação: Correia, Rita Vicente. 2009. "Biocombustíveis: que futuro?". Dissertação de Mestrado. Universidade Técnica de Lisboa. Instituto Superior de Economia e Gestão
Resumo: A sociedade moderna está muito dependente do petróleo e seus derivados. Pelo facto de serem recursos finitos exigem uma utilização e gestão criteriosas. Adicionalmente deverão também ser adoptadas energias alternativas, minimizando os efeitos colaterais. A nível global, o sector dos transportes é o maior consumidor de energia, na realidade o principal. Por outro lado 98% da energia consumida por este sector provém do petróleo. Os biocombustíveis fazem parte da solução para este problema. Ao actuar como fonte de diversificação energética, ajudam a reduzir a dependência face aos combustíveis fósseis, com os respectivos benefícios ambientais. Por outro lado estimulam e favorecem novos segmentos de mercado. A nível nacional, à semelhança do que ocorre também na Europa, pelo fenómeno da dieselização e pelo facto de Portugal ser deficitário em gasóleo, urge encontrar soluções alternativas à utilização do diesel. O biodiesel é para já a alternativa disponível, podendo ser utilizado até ao limite imposto pela norma EN590. Esta Dissertação analisa as condições para que o biodiesel se afirme no mercado e os mecanismos necessários à sua promoção e competitividade, e respectivo enquadramento legal. Analisa também a primeira e segunda gerações de biodiesel, identificando os factores de diferenciação, em particular as mais valias e limitações destas.
Modern society is heavily dependent on oil and its derivatives. Being finite resources, they demand a conscientious use and management. Additionally alternative energy sources should be adopted to minimize side effects. Globally the transport sector is the main energy consumer. On the other hand, 98% of the energy consumed by this sector is fossil fuels. Biofuels are part of the solution to this by acting as energy diversity source, namely helping the reduction of fossil fuels dependence, with the correspondent environmental benefits. Biofuels also stimulate and favour new market segments. Nationally, similar to what occurs in Europe, the phenomenon of dieselisation and the fact that Portugal is in deficit in diesel, requires alternatives to the use of diesel. Biodiesel is for now the alternative, and it's available to use within the limits imposed by the standard EN590. This thesis examines the conditions for the biodiesel's affirmation in the market and the mechanisms necessary for its promotion and competitiveness, and its legal framework. It also analyzes the first and second generations of biodiesel, identifying the causes of differentiation, particularly the biodiesel's advantages and limitations.
Descrição: Mestrado em Economia e Política da Energia e do Ambiente
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/1175
Appears in Collections:DE - Dissertações de Mestrado / Master Thesis
BISEG - Dissertações de Mestrado / Master Thesis

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Biocombustíveis Que Futuro-Julho 2009.pdf883,36 kBAdobe PDFView/Open
Restrict Access. You can request a copy!
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia