Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/10552
Título: Gestão ativa e desempenho de fundos de ações portugueses
Autor: Duarte, Licínia Maria Ferreira
Orientador: Gaspar, Raquel
Palavras-chave: Gestão Ativa
Active Share
Tracking Error
Fundos de Investimento
Desempenho
Active management
Mutual Funds
Performance
Data de Defesa: 2012
Editora: Instituto Superior de Economia e Gestão
Citação: Duarte, Licínia Maria Ferreira (2012). "Gestão ativa e desempenho de fundos de ações portugueses". Dissertação de Mestrado, Universidade Técnica de Lisboa. Instituto Superior de Economia e Gestão.
Resumo: Nas últimas décadas tem-se investigado a existência (ou não) de uma superioridade do desempenho de fundos geridos ativamente face aos passivos, i.e., avalia-se quão valiosa é a gestão ativa. Dadas as divergentes conclusões encontradas na literatura financeira, não se encontra um consenso do valor da gestão ativa, continuando esta temática a se apresentar como atual e pertinente em Finanças. Porém, na maioria dos estudos avalia-se o desempenho dos fundos independentemente de serem verdadeiramente ativos, o que pode estar a ?camuflar? o real desempenho dos fundos ativos. O presente estudo ultrapassa essa situação, uma vez que efetua a avaliação do desempenho dos fundos em função dos diferentes estilos de gestão ativa. Para tal, segue-se a metodologia de Cremers & Petajisto (2009) e utiliza-se três modelos de avaliação de desempenho (CAPM, Fama-French, 1992, 1993 e Carhart, 1997). O estudo incide numa amostra de fundos de ações portugueses, centrado nas categorias Nacionais, União Europeia e Internacionais, entre Janeiro de 2005 a Dezembro de 2011, analisando o período como um todo e dois subperíodos (2005-2007 e 2008-2011). Conclui-se que a gestão ativa, em média, não adiciona valor de forma significativa, independentemente dos estilos ativos utilizados pelos gestores portugueses - pelo contrário, em períodos de instabilidade financeira, em média, destruiu valor e de forma significativa.
In the last decades it has investigated the existence (or not) of a superior performance of actively managed funds compared to passive funds, i.e., evaluates how valuable is the active management. Given the divergent conclusions in the financial literature, is not found a consensus about the value of active management, continuing this thematic to present itself as current and pertinent in Finance. However, in most studies evaluate the performance of the funds regardless of whether they are truly active, which can "mask" the real performance of the active funds. The present study overcomes this situation, since it makes the evaluation of the performance of funds according to the different styles of active management. To do so, it follows the methodology of Cremers & Petajisto (2009) and uses three models of performance evaluation (CAPM, Fama-French, 1992, 1993 and Carhart, 1997). This study uses a sample of Portuguese equity fund, focused on National, European Union and International categories, from January 2005 to December 2011, looking at the period as a whole and two sub-periods (2005-2007 and 2008-2011). We conclude that active management, on average, not significantly add value, regardless of the active styles used by Portuguese managers - moreover, during periods of financial instability, on average, destroyed value in a significant way.
Descrição: Mestrado em Finanças
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/10552
Aparece nas colecções:DG - Dissertações de Mestrado / Master Thesis
BISEG - Dissertações de Mestrado / Master Thesis

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM-LMFD-2012.pdf2,52 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.