Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/10487
Título: Efeitos da terapêutica com células estaminais mesenquimatosas derivadas da medula óssea na expressão da citocina pró-fibrótica tgf-β1 no endométrio de éguas com endometrose
Autor: Cardoso, Ana Catarina Jorge
Orientador: Fumuso, Elida Ana
Dias, Graça Maria Leitão Ferreira
Palavras-chave: TGF-β1
Células estaminais mesenquimatosas
Endometrose equina
Imunohistoquímica
Mesenchymal stem cells
Equine endometrosis
Imunohistochemestry
Data de Defesa: 20-Nov-2015
Editora: Universidade de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Citação: Cardoso, A.C.J. (2015). Efeitos da terapêutica com células estaminais mesenquimatosas derivadas da medula óssea na expressão da citocina pró-fibrótica tgf-β1 no endométrio de éguas com endometrose. Dissertação de mestrado. Universidade de Lisboa, Faculdade de Medicina Veterinária, Lisboa.
Resumo: A endometrose equina é uma doença crónica, progressiva e degenerativa responsável por alterações glandulares e pela presença de fibrose no endométrio. É uma das principais causas de infertilidade em éguas e atualmente não há nenhum tratamento eficaz. A citocina Transforming Growth Factor β1 (TGF-β1) é responsável por diversas funções em vários tipos de células, incluindo o controlo do crescimento, proliferação e diferenciação celular e apoptose. Quando a homeostase do tecido é perturbada, o TGF-β1 aumenta o recrutamento, a proliferação e a diferenciação de fibroblastos em miofibroblastos e a produção de componentes da matriz extracelular levando à fibrose, o que o torna um dos principais indutores de fibrose nos tecidos. Novas terapêuticas estão a ser investigadas e a terapêutica celular é considerada uma das melhores candidatas para a resolução da fibrose. As células estaminais mesenquimatosas (MSCs) libertam várias moléculas bioativas, algumas das quais modulam a resposta inflamatória enquanto outras contribuem para a regeneração e remodelação de um tecido lesionado. Os seus efeitos imunomoduladores e a sua capacidade de agir sobre fatores pró-fibróticos, como a via do TGF-β1, já foram destacados em estudos pré-clínicos e clínicos. O objetivo deste trabalho foi avaliar a expressão do TGF-β1 e dos seus recetores após a infusão de células estaminais mesenquimatosas autólogas derivadas da medula óssea (BM-MSCs) no endométrio de 7 éguas com endometrose. Foram injetadas 8x106 células em cada égua e recolhidas biópsias uterinas antes do tratamento (D0) e trinta dias (D30) e sessenta dias (D60) após o tratamento. A análise da expressão do TGF-β1 e dos seus recetores foi avaliada por imunohistoquímica. Seria de esperar uma diminuição da expressão do TGF-β1 trinta (D30) e sessenta (D60) dias após o transplante de células estaminais mesenquimatosas derivadas da medula óssea no endométrio. A imunomarcação do TGF-β1 e do TGFβRI apresentou um padrão semelhante, verificando-se em todas as éguas, principalmente no citoplasma do epitélio glandular e no endotélio. A imunomarcação do TGFβRII verificou-se principalmente nas células do estroma. Foi possível observar uma maior intensidade de marcação do TGF-β1 e do TGFβRI no citoplasma do epitélio glandular de glândulas dilatadas ou em focos fibróticos. Verificou-se uma diminuição da intensidade da marcação do TGF-β1 e do TGFβRI em D30 e D60 mas não em todas as éguas. A expressão do TGFβRII não sofreu alterações após o tratamento com BM-MSCs. Neste trabalho não foi possível detetar um efeito claro das BM-MSCs autólogas transplantadas no endométrio de éguas com endometrose na expressão da citocina pró-fibrótica TGF-β1 e dos seus recetores.
ABSTRACT - Effects of the therapy with mesenchymal stem cells derived from bone marrow in the expression of the pro-fibrotic cytokine TGF-β1 in the endometrium of mares with endometrosis - Equine endometrosis is a chronic, progressive, degenerative disease responsible for glandular changes and fibrosis in the endometrium of the mare. It is a main cause of infertility in mares and currently there is no effective treatment. Transforming Growth Factor β1 (TGF-β1) is a cytokine that performs many cell functions in several cell types, including growth control, cell proliferation and differentiation and apoptosis. However, when the tissue homeostasis is disturbed by some injury, TGF-β1 increases recruitment, proliferation and differentiation of fibroblasts into myofibroblasts and the production of extracellular matrix components, leading to fibrosis. TGF-β1 is considered a major factor responsible for the process of fibrosis in the tissues. New therapies are being investigated and cell therapy is considered one of the best candidates for fibrosis. Mesenchymal stem cells (MSCs) release various bioactive molecules, some of which modulate the inflammatory response while others contribute for remodeling and regeneration of a damaged tissue. Their immunomodulatory effects and ability to act on pro-fibrotic factors such as the pathway of transforming growth factor β1 have been highlighted in preclinical and clinical studies. The aim of this study was to evaluate the expression of TGF-β1 and its receptors after infusion of autologous mesenchymal stem cells derived from bone marrow (BM-MSCs) in the endometrium of 7 mares with endometrosis. 8x106 cells per mare were transplanted into the endometrium and uterine biopsies were collected before treatment (D0) and thirty days (D30) and sixty (D60) days post treatment. The analysis of the expression of TGF-β1 and its receptors was evaluated by immunohistochemistry. We expected a decrease in TGF-β1 expression thirty (D30) and sixty (D60) days after the transplantation of bone marrow derived mesenchymal stem cells in the endometrium. The TGF-β1 and TGFβRI showed a similar immunostaining pattern. It was found in all mares mainly in the cytoplasm of the glandular epithelium and endothelium. The immunostaining of TGFβRII was found mainly in stromal cells and cilia of the glands. It is possible to observe a stronger immunostaining intensity of TGF-β1 and TGFβRI in the cytoplasm of the glandular epithelium of dilated glands or glands located in fibrotic foci. There was a decrease in the intensity of TGF-β1 and TGFβRI at D30 and D60 but not in all mares. The expression of TGFβRII did not change after treatment with BM-MSCs. In this work we could not detect a clear effect of autologous BM-MSCs transplanted into the endometrium of mares with endometrosis in the expression of the pro-fibrotic cytokine TGF-β1 and its receptors TGFβRI and TGFβRII.
Descrição: Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/10487
Aparece nas colecções:BFMV - Teses de Mestrado 2º. Ciclo



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.