Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/10375
Título: Um ensaio sobre a relação entre decisões de estrutura de capital e gestão de resultados
Autor: Araújo, Jorge Miguel Lopes
Orientador: Gonçalves, Alcino
Palavras-chave: Crise Financeira
Restrições ao Crédito
Estrutura de capital
Gestão dos Resultados
Financial Crisis
Credit Restrictions
Capital Structure
Earnings Management
Data de Defesa: 2015
Editora: Instituto Superior de Economia e Gestão
Citação: Araújo, Jorge Miguel Lopes (2015). "Um ensaio sobre a relação entre decisões de estrutura de capital e gestão de resultados". Dissertação de Mestrado, Universidade de Lisboa. Instituto Superior de Economia e Gestão.
Resumo: Num contexto de crise (de crédito), importa compreender o mercado da dívida que com a crise financeira europeia passou a reger-se sob circunstâncias diferentes envolvendo maior risco. Deste modo, para além das tradicionais medidas de risco a gestão de resultados pode incorporar-se como uma medida de risco adicional. A motivação de financiamento pode passar a ser manipulada pelos gestores para agradar à banca, afectando, por esta via, a qualidade da informação financeira com o consequente aumento do risco de incerteza para as instituições de crédito. As evidências empíricas da relação entre as decisões de estrutura de capital e o fenómeno da gestão de resultados resvalam de um estudo cross-sectionally pooled cross-sectional para estas variáveis nas empresas não cotadas dos países da U.E. a 28, sob circunstâncias económicas em dois ambientes distintos pré-crise e período da crise financeira. O estudo concluiu que no período pré-crise a gestão de resultados era uma ferramenta para as empresas operarem em níveis de alavancagem superiores, enquanto, no período crise prende-se com razões de acesso ao crédito. Por outro lado, existem evidências estatísticas que o fenómeno da gestão de resultados em relação à dívida não é uma actuação planeada mas uma prática reactiva por parte dos gestores.
The current (credit) crisis created a setting in which debt markets under the European financial crisis are more aware of the increase in risk when deciding the allocation of funds. As a consequence, traditional measures of risk are insufficient, leaving more room for an analysis of earnings management as an additional layer of risk. Under the influence of additional requirement of funds, while the pool of credit was significantly restricted, managers try to manipulate earnings quality to please financial markets. Consequently, increase uncertainty to banks when distinguishing competing applications and true level of risk for different projects. Empirical evidence shows that the capital structure decisions are significantly correlated with the earnings management phenomenon, under a cross-sectionally pooled cross sectional model applied to private European firms from the 28 EU countries. I also show evidence of a distinction of their behavior before and during the current crisis. This dissertation concludes that in the period before the current crisis, earnings management was an instrument firms used to work on their capital structure, increasing leverage, whereas during the aforementioned crisis this earnings practices are mainly a way to increase their access to additional debt amounts. Finally, I show that those earnings management practices are not ex ante decisions but rather ex post reactions and adjustments to additional pressure deriving from increased amounts of debt related pressures.
Descrição: Mestrado em Contabilidade, Fiscalidade e Finanças Empresariais
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/10375
Aparece nas colecções:DG - Dissertações de Mestrado / Master Thesis
BISEG - Dissertações de Mestrado / Master Thesis

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM-JMLA-2015.pdf1,53 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.