Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/10347
Título: Atividade de fungos sobre ovos, larvas e oocistos de parasitas de ungulados silvestres e do cão
Autor: Cruz, Rita Magalhães da
Orientador: Carvalho, Luís Manuel Madeira de
Soares, Jorge Francisco
Palavras-chave: Duddingtonia flagrans
Mucor circinelloides
Pochonia spp.
Coccídias
Fasciola hepatica
Nemátodes gastrintestinais
Ungulados Silvestres
Toxocara canis
Cão
Coccidian
Fasciola hepatica
Gastrointestinal Nematodes
Wild ungulates
Dog
Data de Defesa: 18-Nov-2015
Editora: Universidade de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Citação: Cruz, R.M. (2015). Atividade de fungos sobre ovos, larvas e oocistos de parasitas de ungulados silvestres e do cão. Dissertação de mestrado. Universidade de Lisboa, Faculdade de Medicina Veterinária, Lisboa.
Resumo: Nas últimas décadas, surgiram novos problemas tais como o agravamento de resistências a anti-helmínticos e os consequentes efeitos adversos que o seu uso abusivo pode trazer para o ambiente e para os produtos alimentares. Recorrer a um método de controlo biológico dos parasitas com a utilização de fungos telúricos nematófagos surge como uma alternativa muito promissora. Neste trabalho, foi investigada a eficácia do fungo predador Duddingtonia flagrans na redução de larvas L3 de Oesophagostomum spp. no javali da Tapada Nacional de Mafra, dos fungos ovicidas Mucor circinelloides e Pochonia spp. no combate aos ovos de Toxocara canis do cão da zona urbana de Lisboa e do fungo M. circinelloides na prevenção das infecções por helmintes (ação sobre ovos de Fasciola hepatica e de estrongilídeos gastrintestinais) e coccídias (ação sobre oocistos de Eimeria spp. e Cystoisospora suis) dos ungulados silvestres da Tapada Nacional de Mafra. Recorreu-se a três tipos de ensaios: coprocultura em copo (quantificação de larvas L3), ensaio em caixas (interação entre o fungo ovicida, os ovos de helmintes e oocistos de coccídias e o meio ambiente) e ensaio em placas (avaliação qualitativa da ação do fungo ovicida M. circinelloides em oocistos de coccídias do javali). Em todos os ensaios, o desenvolvimento base foi igual: criou-se um grupo Fungos, onde era acrescentada uma suspensão com esporos do fungo em estudo às formas parasitárias (ovos, larvas ou oocistos) nas amostras fecais e um grupo Controlo, onde apenas tínhamos parasitas em desenvolvimento nas fezes (também ovos, larvas ou oocistos). As técnicas laboratoriais qualitativas utilizadas foram a Flutuação de Willis e a Sedimentação Simples e as quantitativas consistiram no McMaster e McMaster Modificada. No ensaio com as L3 de Oesophagostomum spp. e o fungo D. flagrans, registou-se uma Taxa de Redução que variou entre 53% e 83%, comprovando-se a eficácia deste fungo sobre este nemátode do javali. Com o ensaio em caixas com os ovos de helmintes dos ungulados silvestres e o fungo M. circinelloides não se obtiveram resultados estatisticamente significativos, porém foi possível avaliar qualitativamente a eficácia do fungo. No ensaio em caixas com os ovos de T. canis, foi observada uma Taxa de Redução de 37% com o fungo M. circinelloides e de 61% com o fungo Pochonia spp. Concluiu-se que ambos os fungos ovicidas foram eficazes, porém Pochonia spp. mostrou uma atividade ovicida mais agressiva. Foram realizados ensaios em caixa com coccídias do javali e o fungo M. circinelloides, com a duração de seis semanas, em dois momentos distintos do ano: inverno e primavera-verão. No ensaio de primavera-verão, verificou-se que, até à 3ª semana, observaram-se Taxas de Redução num intervalo de 52-66% sendo que, à 4ª semana sofreu uma diminuição abrupta (20%) e depois tornou-se negativa. Em simultâneo, também foi observada um aumento da inviabilidade dos oocistos no grupo Controlo. Concluiu-se que as condições ambientais desfavoráveis de temperatura elevada e humidade relativa baixa justificam a morte progressiva dos oocistos no grupo Controlo e a diminuição do desenvolvimento e atividade ovicida do fungo no grupo Fungos sendo que, a partir da quarta semana, apenas se observou a degradação natural dos oocistos no solo. Não obstante, foi observado que o momento crítico de infeção de novos hospedeiros corresponde às primeiras três semanas e, durante esse período, obtiveram-se valores de redução muito significativos. No ensaio de inverno as Taxas de Redução não foram tão elevadas (28-35%) e a percentagem de inviabilidade máxima anotada foi de 64%. Verifica-se que, a temperaturas mais baixas e humidade relativa mais alta constituem melhores condições de sobrevivência dos oocistos e piores para o crescimento do fungo. O ensaio em placas veio apoiar os resultados verificados no ensaio em caixas. Os resultados globais deste trabalho mostram o grande potencial dos fungos nematófagos no controle de T. canis nos cães e F. hepatica, helmintes e protozoários gastrointestinais de ungulados silvestres em Portugal, sendo a primeira vez na literatura que este tipo de controlo biológico foi avaliado em coccídias.
ABSTRACT - In the last decades, new problems have arisen such as the worsening of resistance to anthelmintics and the consequent adverse effects that its abuse can bring to the environment and food products. Resorting to a method of biological control of parasites with the use of telluric nematophagous fungi emerges as a very promising alternative. This work focused on three main research topics: (i) the efficacy of the predator fungus Duddingtonia flagrans on the reduction of Oesophagostomum spp. L3 larvae of the wild boar from the Tapada Nacional de Mafra; (ii) the ovicidal effect of the fungus Mucor circinelloides and Pochonia spp. on Toxocara canis eggs from the dog‟s urban area of Lisbon; (iii) the use of the fungus M. circinelloides on the prevention of helminthic infection (action on Fasciola hepatica and gastrointestinal strongyle eggs) and coccidia (action on Eimeria sp. and Cystoisospora suis oocysts) of the wild ungulates from the Tapada Nacional de Mafra. Three types of experiments were developed: fecal cultures (quantification of L3 larvae), box tests (interaction between the ovicidal fungus, eggs of helminths and coccidia oocysts and the environment) and a Petri dish test (qualitative evaluation of ovicidal fungus M. circinelloides action on wild boar coccidian oocysts). In all tests, the same basic development was implemented, involving two groups of samples: a Fungi group where a suspension of fungus spores was added to the parasitic stages (eggs, larvae or oocysts) in fecal samples and a Control group, where there were only parasitic stages in the feces (also eggs, larvae or oocysts). The qualitative laboratory techniques used were Willis Flotation and Simple Sedimentation and the quantitative techniques consisted of McMaster and Modified McMaster. In the experiment with L3 larvae of Oesophagostomum spp. and D. flagrans fungus, there was a reduction rate ranging between 53% and 83%, which demonstrated the efficacy of this fungus on this nematode from wild boar. With the box test with helminths eggs of the wild ungulates and the fungus M. circinelloides it was not possible to observe statistically significant results, but it was possible to qualitatively verify the efficacy of the fungus. In the box test evolving T. canis eggs, a 37% reduction rate was observed with the fungus M. circinelloides and 61% with the fungus Pochonia spp. We concluded that both ovicides fungi were effective, but Pochonia spp. showed a more aggressive ovicidal activity. Box tests with six weeks duration were performed on the wild boar coccidia and the fungus M. circinelloides, in two different periods of the year: winter and spring-summer. In the spring-summer test, it was found that, until the 3rd week, the reduction rates observed were between 52% and 66%. At the 4th week these values suffered an abrupt decrease (20%) and, after that, negative reductions were verified. At the same time, an increase of the oocysts unviability in the Control group was also observed. It was concluded that the adverse environmental conditions of high temperature and low relative humidity justify the progressive death of oocysts on the Control group, and the decline of the development and ovicidal activity of the fungus in the Fungi group. Since the fourth week, only the natural degradation of oocysts in the soil is observed. However, it was noticed that the critical moment of the hosts‟ infection corresponds to the first three weeks and, during this period, we obtained very significant reduction values. In the winter test the reduction rates were not as high (28-35%) and the maximum percentage of egg‟s unviability was 64%. It is concluded that lower temperatures and higher relative humidity conditions provide better survival of oocysts and worst conditions for fungus growth. The Petri dishes test came to support the results obtained in the boxes tests. The overall results of this research show the great potential of nematophagous fungi in the control of T. canis in dogs and F. hepatica, gastrointestinal helminths and protozoa of wild ungulates in Portugal, being the first time in literature that this type of biological control was assessed on coccidian.
Descrição: Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/10347
Aparece nas colecções:BFMV - Teses de Mestrado 2º. Ciclo

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Atividade de fungos sobre ovos, larvas e oocistos de parasitas de ungulados silvestres e do cão.pdf4,35 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.