Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/10335
Título: Protocolo run-bike-run modificado : influência da especialização em provas de triatlo com diferentes distâncias
Autor: Alves, Manuel Alexandre Santos Vieira
Orientador: Alves, Francisco José Bessone Ferreira
Palavras-chave: Atleta
Avaliação do desempenho
Fisiologia do esforço
Triatlo
Validação
Data de Defesa: 2015
Resumo: O objectivo deste estudo é validar o protocolo desenvolvido por Millet & Bentley (2004), como um instrumento de avaliação da performance dos triatletas. O estudo consistiu na aplicação de três testes aplicados a oito triatletas de Distância Longa (DL), tendo todos os atletas completado pelo menos uma prova na distância half ironman nos últimos seis meses. O teste número um, t1, um teste progressivo máximo na passadeira para avaliar o VO2 máx e Limiar Ventilatório (LV). O teste número 2, t2, do protocolo Run-Bike-Run consiste numa corrida de 7’ a 15km/h, seguido de transição para ciclismo progressivo máximo em cicloergómetro com início a 2w/kg e incrementos de 30w a cada 3’, e de 10’ a 3w/kg, após segunda transição para passadeira onde o teste termina com corrida de 7’ a 15/km/h. O teste 3, t3, consiste num contra-relógio (CR), simulado, de 30’ de ciclismo seguido de 20’ de corrida. A Distância Total, o Lactato Sanguíneo [La], V̇O2, Velocidade média no ciclismo, Velocidade média de corrida e Frequência Cardíaca (FC) foram registados. Foram encontradas correlações inversas entre o VO2max no RBR e a distãncia e velocidade na corrida do CR. Correlações positivas foram encontradas entre o Valor de Potência Máxima no RBR, o valor de Potência aquando do LV no teste de RBR, o LV no ciclismo do RBR, e a Distância Total no CR (critério de sucesso). É fácil concluir que o protocolo RBR fornece vários dados que podem predizer a performance devido à existência de vários factores que se correlacionam com o factor de sucesso no terceiro teste, a distância total no CR..
The purpose of this study is to validate the Run Bike Run protocol developed by Millet & Bentley (2004), as an instrument to assess triathletes performance The study consisted on three tests applied to eight male long distance triathletes (all of the subjects had recently participated on a long distance event, ranging from six months to one week). Test number one, t1, consisted on a maximal progressive test which assessed the Run V̇O2max., and VT on a treadmill. Test number two, t2, Run-Bike-Run protocol consists on a 7’ 15km/h run, followed by transition and progressive maximal cycling starting at 2w/kg and increasing 30w every 3’ until exhaustion followed by 10’ at 3w/kg, second transition and 7’ 15km/h run. Test 3, consisted on a simulated triathlon Time Trial, 30’ cycling followed by 20’ run. Total distance, Blood Lactate (bla), V̇O2, bike power, average bike speed and average run speed and Heart Rate were registered. Inverse correlations were found between RBR VO2 and the TTrun distance and TTspeed. Positive correlations were found between RBR Bike VT and TTtotal distance, RBR peak power and TTtotal distance, Power at RBR Bike VT and TTtotal distance. It is easy to conclude that RBR protocol provides several data that can predict triathletes performance as there are several factors that correlate with TT total distance, the main factor for success on the third test.
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/10335
Designação: Mestrado em Treino de Alto Rendimento Desportivo
Aparece nas colecções:BFMH - Dissertações de Mestrado / Master Thesis

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
2015_06_18_TMestrado_RBR_DO_vs_DL_ManuelAlves.pdf646,66 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.