Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/1029
Título: Diversidade florística dos bosques de Quercus faginea subsp. broteroi (cercais) do Centro Oeste de Portugal
Autor: Espírito Santo, M.D.
Rego, Francisco
Lousã, Mário
Bingre, Pedro
Lopes, Carmo
Maia, José
Ribeiro, Silvia
Alves, João
Capelo, Jorge
Palavras-chave: Quercus faginea
diversidade floristica
Data: Mai-2005
Editora: SPCF
Citação: Congresso Florestal Nacional, 5º, Viseu, 2005
Resumo: Com o intuito de tipificar a diversidade floristica das formações florestais dominadas por carvalho-cerquinho, foram analisados 77 inventários efectuados em cercais de Arisaro vulgare-Quercetum broteroi e em louriçais de Vinco difformis-Lauretum nobilis, no Centro Oeste de Portugal, procurando-se estabelecer a relação entre estes bosques e o seu grau de conservação e diversidade. Os dados obtidos foram analisados através de uma análise canónica de correspondências (CCA) tendo sido efectuados os cálculos relativos à diversidade florística (recorrendo ao índice de Shannon) e à diversidade em espécies com interesse para conservação. Na análise canónica de correspondências (CCA) foram admitidas 4 variáveis no teste de permutação de Monte Carlo, com probabilidade de erro inferior a 1 %: altitude, densidade de copado, grau de artificialização e índice de Shannon. Os louriçais (de Vinco difformis-Lauretum nobilis e endémicos do Subsector Oeste-Estremenho) aparecem associados a situações de menor altitude, maior densidade de copado e com menor grau de artificialização do que os cercais de Arisaro vulgare-Quercetum broteroi. Dos cercais foi possível distinguir um grupo de inventários enriquecidos com Quercus robur e com o híbrido deste com o Quercus faginea subsp. broteroi, o Quercus x coutinhoi. Este grupo está positiva e fortemente correlacionado com elevados valores de diversidade florística, provavelmente devido a estar associado a situações de menor altitude ligeiramente edafo-higrófilas, o que contribui para uma maior estratificação das respectivas comunidades e a maior diversidade floristica. Vários endemismos e espécies com estatuto de protecção apareceram associadas aos cercais: Antirrhinum majus subsp. linkianum e Scrophularia grandiflora, entre outras, associadas aos cercais sobre calcários. Por sua vez, aos louriçais estão associadas espécies como o Ruscus aculeatus e Quercus pyrenaica. No total, registaram-se 5 taxa com estatuto vulnerável, 1 taxa em perigo de extinção, 2 taxa incluídos no Anexo II da Directiva 92/43/CE e 3 do Anexo V da mesma Directiva. Entre estas destaca-se a presença característica de Silene longicilia, Lavandula latifolia e Scrophularia grandiflora. Verificou-se que a diversidade em espécies endémicas com estatuto de protecção está positivamente correlacionada com a altitude e o declive, ou seja, este tipo de espécies associadas aos bosques de Quercus faginea subsp. broteroi estão concentradas especialmente em áreas menos acessíveis, de maior altitude e com menor grau de artificialização. Por outro lado, o grau de artificialização aparece positivamente correlacionado com o índice de Shannon, o que revela que determinadas acções de perturbação contribuem para um aumento da diversidade específica.
Descrição: Congresso Florestal Nacional: a floresta e as gentes - Actas das Comunicações
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/1029
Aparece nas colecções:SFH - Comunicações em Actas de Conferências

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
congress-5.dalila.pdf150,11 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.