Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/10106
Título: Emigração e os pequenos estados insulares em vias de desenvolvimento : os casos de Cabo Verde e S. Tomé e Príncipe
Autor: Santo, Armindo do Espírito
Palavras-chave: remessas
emigrantes
migrantes
PEIVD
remittances
emigrants
migrants
SIDS
Data: 2015
Editora: ISEG - CEsA
Citação: Santo, Armindo do Espírito (2015). "Emigração e os pequenos estados insulares em vias de desenvolvimento : os casos de Cabo Verde e S. Tomé e Príncipe". Instituto Superior de Economia e Gestão – CEsA / CSG Documentos de Trabalho nº 134/2015
Relatório da Série N.º: CEsA / CSG Documentos de Trabalho;nº 134/2015
Resumo: As remessas de emigrantes e ajuda pública ao desenvolvimento são dois tipos de fluxos que se combinam e estão cada vez mais presentes no dia-a-dia da generalidade dos pequenos países insulares, mormente daqueles que não dispõem de um recurso natural valioso. Um outro fluxo importante é o investimento direto estrangeiro. Esses fluxos externos são vitais ao desenvolvimento dos países em desenvolvimento em geral e, particularmente, dos pequenos Estados insulares (PEI) mas não têm em todos a mesma importância. As remessas de emigrantes são muito significativas no Haiti, no Lesoto, em Cabo Verde e em Benim enquanto em S. Tomé e Príncipe, por exemplo, é o IDE que tem sido crucial. Diferentemente de outros fluxos externos de desenvolvimento, as remessas dos migrantes revelam maior estabilidade e previsibilidade e são canalizadas diretamente para as famílias, que as afetam, prioritariamente, nas suas necessidades mais imediatas de consumo de bens e serviços contribuindo, deste modo, para a redução da pobreza no país de origem dos migrantes. Os argumentos a favor e contra as remessas e a discussão dos efeitos das remessas no crescimento económico contribuíram para vincar a relevância das remessas nos pequenos países em desenvolvimento. Mas em certos PEIVD, uma percentagem importante dos emigrantes na população total corresponde a remessas relativamente pequenas ou irrisórias, pelo que parece haver aqui razões culturais, para além das económicas, a influenciar um menor envio das remessas, como ocorre no caso de S. Tomé e Príncipe. A análise comparada mostra que a economia de Cabo Verde depende das remessas de migrantes para o seu desenvolvimento enquanto a de S. Tomé Príncipe depende do IDE. Como as remessas são vitais para os PEIVD, torna-se essencial a adoção de estratégias que visem atrair mais remessas de emigrantes para a sua economia.
Workers' remittances and official development assistance are two types of flows that combine and are increasingly present in the day by day of most small island states, especially those that do not have a valuable natural resource. Another important flow is the foreign direct investment. These flows are vital to the development of developing countries in general and particularly of Small Island States (SIS), but do not have in all the same importance. Remittances of emigrants are very significant in Haiti, Lesotho, Cape Verde and Benin while in S. Tome and Principe, for example, it is the FDI that has been crucial. Differently from other external development flows, remittances from migrants reveal greater stability and predictability and are channeled directly to the families, that affect them primarily in their most immediate needs of consumer goods and services contributing thus to reduce poverty in the country of origin of migrants. The arguments for and against the remittances and the discussion of the effects of remittances on economic growth have contributed to stress the importance of remittances in small developing countries. But in certain SIDS, a significant proportion of migrants in the total population have produced remittances relatively small or negligible, so there seems to be here cultural reasons, in addition to economic one, influencing minor sending remittances, as in the case of São Tomé and Principe. The comparative analysis shows that the economy of Cape Verde is dependent on migrant remittances for its development while the economy of S. Tome and Principe is dependent on the FDI. As remittances are vital to SIDS, it is essential they adopt strategies to attract more remittances to their economy.
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/10106
Versão do Editor: http://pascal.iseg.utl.pt/~cesa/files/Doc_trabalho/WP134.pdf
Aparece nas colecções:CEsA/CSG- Documentos de Trabalho / CEsA/CSG - Working Papers

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
WP134.pdf711,63 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.