Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.5/10096
Título: Classificação molecular de tumores mamários felinos e sua relevância clínica
Autor: Silva, Tiago Luís Rodrigues da Costa
Orientador: Ferreira, Fernando António da Costa
Ribeiro, Tânia Catarino
Palavras-chave: Classificação molecular
Tumores mamários felinos
Luminal A
Luminal B
HER-2 positivo
Triplo-negativo
Molecular classification
Feline mammary tumors
Luminal A
Luminal B
HER-2 positive
Triple-negative
Data de Defesa: 2-Out-2015
Editora: Universidade de Lisboa. Faculdade de Medicina Veterinária
Citação: Silva, T.L.R.C. (2015). Classificação molecular de tumores mamários felinos e sua relevância clínica. Dissertação de mestrado. Universidade de Lisboa, Faculdade de Medicina Veterinária, Lisboa.
Resumo: Os tumores mamários (TM) apresentam uma complexa heterogeneidade morfológica e biológica, o que determina diferentes comportamentos clínicos e distintas respostas terapêuticas. Em 2011, uma nova classificação molecular destes tumores foi aprovada em Oncologia Humana com o intuído de realizar um diagnóstico mais preciso, uma seleção terapêutica mais direcionada e um prognóstico mais assertivo. Esta classificação baseia-se na avaliação da expressão de recetores de estrogénio alfa (RE-α), recetores de progesterona (RP), recetores para o fator de crescimento epidérmico humano tipo II (HER-2) e da proteína Ki-67, de modo a identificar e agrupar os TM em quatro subtipos moleculares que apresentam características específicas: Luminal A (LA), Luminal B (LB), HER-2 positivo e Triplo-negativo (TN). Em Oncologia Felina, a sua aplicação começa a dar os primeiros passos, não existindo, supostamente, nenhum artigo publicado acerca do seu valor prognóstico. Assim, os objetivos desta investigação foram a análise da prevalência, da homogeneidade, das características clinicopatológicas, do tempo de sobrevida (TS) e do tempo livre de doença (TLD) dos quatro subtipos moleculares, bem como o estudo de outros fatores de prognóstico em tumores mamários felinos (TMF). O fenótipo molecular de 80 massas presentes em 21 felinos diagnosticados com carcinoma mamário, seguidos clinicamente entre 18 de março de 2009 e 31 de janeiro de 2015, foi determinado mediante a execução de protocolos imunohistoquímicos para avaliação da expressão de RE-α, RP, HER-2 e apreciação do índice de Ki-67. As associações estatísticas foram avaliadas através do teste exato de Fisher, do método de Kaplan-Meyer e do teste de Log-rank, considerando o valor de prova de 0,05. O subtipo mais prevalente foi o LB (n=16; 76,2%), seguido do HER-2 positivo (n=3; 14,3%), do LA (n=1; 4,75%) e do TN (n=1; 4,75%). A classificação molecular de todas as massas tumorais presentes em cada felino foi concordante em 47,6% dos casos (10/21) e, apesar de não se verificar nenhuma associação significativa entre as características clinicopatológicas e os diferentes subtipos moleculares, o fenótipo LA apresentou um perfil menos agressivo. A análise de sobrevivência revelou uma associação significativa entre a classificação molecular e o TS, com o subtipo HER-2 positivo a apresentar pior prognóstico (p=0,035). Essa associação foi ainda mais forte quando se consideraram apenas os subtipos mais prevalentes, LB e HER-2 positivo (p=0,014). O subtipo LA mostrou um TLD longo (27 meses), enquanto o subtipo TN mostrou um TLD curto (5 meses). O subtipo LB manifestou um TLD médio de 13,3 meses, significativamente superior ao do subtipo HER-2 positivo, que foi de 6 meses (p=0,043). A sobreexpressão de HER-2 demonstrou estar associada à presença de metastização no momento do diagnóstico (p=0,006), a menores TS (p=0,009) e a curtos TLD (p=0,003). Este estudo abriu novas perspetivas em Oncologia Mamária Felina, sobretudo por ter correlacionado, aparentemente, pela primeira vez, a classificação molecular dos TMF com o seu prognóstico, bem como a sua sobreexpressão de HER-2 com menores TLD. Assim, esta nova classificação para além de contribuir para o delineamento de terapêuticas mais eficazes, poderá ajudar a prever a evolução clínica de cada animal, de um modo semelhante ao descrito em Oncologia Mamária Humana.
ABSTRACT - MOLECULAR CLASSIFICATION OF FELINE MAMMARY TUMORS AND ITS CLINICAL RELEVANCE - The mammary tumors (MT) display a complex morphological and biological heterogeneity, which determines different clinical behaviors and distinct therapeutic responses. In 2011, a new molecular classification was approved in Human Oncology, allowing a more accurate diagnosis, a more targeted therapy, and a more assertive prognosis. This classification is based on the expression assessment of estrogen receptors alpha (ER-α), progesterone receptors (PR), human epidermal growth factor receptors type II (HER2), and Ki-67 protein, in order to identify and group the MT into four molecular subtypes with specific features, namely: Luminal A (LA), Luminal B (LB), HER2-positive and Triple-negative (TN). In Feline Oncology, its application begins to take its first steps, not existing, supposedly, no article published about its prognostic value. Thus, the main goals of this research project were the analysis of the prevalence, homogeneity, clinicopathological characteristics, overall survival (OS) and disease-free survival (DFS) of the four molecular subtypes, as well as the study of other prognostic factors in feline mammary tumors (FMT). The molecular phenotype of 80 masses identified in 21 felines diagnosed with mammary carcinoma, followed clinically between March 18th, 2009 and January 31st, 2015, was analyzed by immunohistochemistry protocols for the expression assessment of RE-α, PR, HER-2 and for the determination of Ki-67 index. The statistical associations were evaluated using Fisher's exact test, Kaplan-Meier method and Log-rank test, considering a p value of 0.05. The most prevalent subtype was LB (n=16; 76.2%), followed by HER2-positive (n=3; 14.3%), LA (n=1; 4.75%) and TN (n=1; 4.75%). The molecular classification of all tumors identified in the same feline was concordant in 47.6% of all cases (10/21). Moreover, the LA phenotype evinced a less aggressive profile, even though no significant association was observed between clinicopathological characteristics and different molecular subtypes. The survival analysis revealed a significant association between molecular classification and OS, with HER2-positive subtype presenting the worse prognosis (p=0.035). This association was even stronger when considering only the most prevalent subtypes: LB and HER2-positive (p=0.014). The LA subtype revealed a longer DFS (27 months), while the TN subtype showed the shortest DFS (5 months). The LB subtype expressed a mean DFS of 13.3 months, significantly higher than that of HER2-positive subtype, which was 6 months (p=0.043). The HER2 overexpression was associated with the presence of metastasis at the time of diagnosis (p=0.006), a lower OS (p=0.009), and a shorter DFS (p=0.003). In conclusion, this study has opened up new perspectives in Feline Mammary Oncology, especially by having correlated, apparently, for the first time, the FMT molecular classification with its prognosis, as well as its HER-2 overexpression with lower DFS. Therefore, this new classification apart from contribute to the design of more effective therapeutics, can also help predict the clinical evolution of each animal, in a similar way to what is described in Human Mammary Oncology.
Descrição: Dissertação de Mestrado Integrado em Medicina Veterinária
URI: http://hdl.handle.net/10400.5/10096
Aparece nas colecções:BFMV - Teses de Mestrado 2º. Ciclo

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Classificação Molecular de Tumores Mamários Felinos e Sua Relevância Clínica.pdf6,57 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.